quarta-feira, abril 11, 2018

Funeratus Lança Videoclipe: Assista

Seguindo com a divulgação de seu terceiro full-length, o Funeratus lançou na última terça-feira (10 de abril) seu primeiro videoclipe em seu canal no Youtube e em sua página no Facebook. A faixa escolhida para divulgação do álbum é justamente a faixa-título "Accept the Death". O clipe,  bem produzido, alterna momentos da banda destilando sua ótima composição com uma jovem passando por um luto em diferentes cenários, dentre eles, um cemitério, onde o trio do Funeratus também aparece por alguns instantes. O trabalho teve roteiro e direção de Gustavo Souza, que também produziu e filmou o clipe ao lado de Murilou Quilice (edição). A atriz em luto é Angelita Vaz Pereira, direção artística de Tiago Eira e figurino e maquiagem por Grace da Silva e Vanessa Gomes. Com todo esse apoio, o resultado final é realmente muito bom. Desde a qualidade da filmagem à atuação da atriz e escolha dos cenários, é uma excelente maneira de estrear com videoclipes. Este trabalho, aliás, contou até com o apoio de uma Funerária, que tornou o pesar ainda mais real com a inserção de elementos fúnebres. 

Essa é a segunda faixa retirada do último álbum que foi divulgada em formato de vídeo pela banda. Em janeiro deste ano, o Funeratus também apresentou o lyric-video de "Ryse And Fall Again".

"Accept The Death" foi lançado pelos selos Distro Rock e Extreme Sound Records e está disponível para venda em diversas lojas do ramo, com os selos e diretamente com a banda por e-mail ou Facebook.

Confira abaixo o primeiro videoclipe do Funeratus:

sexta-feira, abril 06, 2018

::Resenha:: Crystal Lake - Death Row

Crystal Lake - Death Row (2018)

Onze anos se passaram desde o lançamento de seu primeiro álbum "Terror Machine", em 2007, que conquistou boa aceitação do público e da mídia headbanger. A banda, formada em 1999, teve uma pausa que durou 6 anos entre 2010 e 2016. No retorno, uma mudança na formação, com a entrada do baixista Guilherme Brito e uma nova injeção de ânimo nos demais integrantes, que gravaram o debut-album e estão há anos espalhando o Thrash Metal Brasil afora. Os irmãos Haroldo e Heraldo Habermann, vocalista e baterista respectivamente, e Murilo Januário completam o quarteto metal lemense. 

"Death Row" é o nome do novo álbum do Crystal Lake. Gravado e produzido no Estúdio dB em Leme-SP por Daniel Bonfogo (baixista do Claustrofobia) e pela banda. A bela capa, que trás um condenado fritando em uma cadeira elétrica, foi criada pelo artista, também do interior de São Paulo, Wildner Lima.

Sem mais delongas, "In Your Eyes" começa como um soco certeiro na cara, despejando a gana da banda de imediato. Belo começo de música. Vocal e instrumental caindo na pancada ao mesmo tempo. Thrash Metal em sua essência, com uma pegada rápida e pesada. A bateria dita levadas enérgicas e cadenciadas, quebrando o tempo e tornando a composição mais interessante. O peso e a distorção do baixo se fazem muito presentes durante um solo de guitarra que nos remete à clássicos do heavy e thrash metal. 

"Devil or God" é a faixa que ganhou um Lyric Video em fevereiro deste ano. A letra da música é composta apenas de declarações de serial killers logo antes de serem executados. A faixa tem um início mais cadenciado e acelera para uma pegada mais agitada. Destaques para algumas passagens da guitarra e do trabalho do vocal. Mais uma vez o ritmo aumenta e certamente as rodas devem ser abertas neste momento nos shows do Crystal Lake. Uma típica levada que empurra até os mais cansados para a pancadaria saudável do undeground. A cozinha também merece destaque pela linha marcante, ditando o progresso da música com muito feeling. 

A faixa "Driven" tem a participação do jovem guitarrista lemense, Leonardo Pais e talvez seja uma das que mais se assemelham às composições do Terror Machine. Embora, musicalmente a essência da banda seja a mesma, há uma evolução e novas ideias no novo trabalho. "Driven" conta com passagens aceleradas com boas aparições da percussão e um compasso arrastado e abafado pra agradar aos fãs da nova e da velha escolha do Thrash Metal. 

"I Am Terror" tem um início marcante, com guitarras que remetem ao Sepultura dos anos 90. Algo entre Chaos A.D. e Roots. A levada inicial é bastante empolgante e mais uma vez os trabalhos vocais se empenham para expressar a violência das letras. Algo que transborda também para o instrumental. Nesta faixa, o entrosamento da banda fica bem evidente. As cordas da guitarra e do baixo tem um trabalho muito interessante, com passagens em que um complementa o outro, criando um resultado pesado e coeso. O título cantado a plenos pulmões é mais uma boa passagem desta composição. 

A quinta obra deste CD, "Another Hunt" é, talvez, para este que vos escreve, o ponto alto de Death Row. Com ruídos de um assassino se preparando para mais uma caçada, bateria e baixo abrem as portas para um som com groove unido à um riff enraizado no verdadeiro Thrash Metal. 

Heavy e Death Metal. Como dito anteriormente, a essência deste novo CD é a mesma apresentada em Terror Machine. Além disso, a qualidade da produção é notável. Muito empenho e dedicação para um ótimo resultado final.
no melhor estilo interiorzão de São Paulo: "Fudido né rapai?"

terça-feira, março 20, 2018

::Resenha:: Blixten - Stay Heavy

EP Stay Heavy (2018) - Blixten
Oficialmente lançado no início do mês de março de 2018, o EP "Stay Heavy" é o registro de estreia dos araraquarenses e são carlenses da Blixten. E ao ouvir as cinco criações da banda (além da introdução), fica evidente que o quarteto está se divertindo fazendo o que gosta. Com influências de Heavy Metal e Hard Rock dos anos 80, os saudosistas de bandas clássicas certamente serão atraídos por este material.

Sem mais delongas, partimos ao que interessa. A faixa escolhida para abrir o EP é a música "Requiem Aeternam" de Mozart, que por si só já cria uma atmosfera incrível, mas a banda ainda inseriu sons de trovões (significado de Blixten em sueco) ao fundo e o resultado não poderia ser melhor. Antes mesmo dos primeiros acordes, o bom gosto já dá as caras no trabalho. 

Em "Trapped in Hell", a guitarra de Miguel Arruda apresenta o cartão de visita da banda, com um riff na essência do Heavy Metal, rápido, pegado e bem executado. A cozinha pesada de Murilo Deriggi (bateria) e Aron Marmorato (baixo) surgem encorpando o som e complementando uma obra empolgante. As cordas vocais de Kelly Hipólito unem-se ao restante da banda despejando agressividade em um timbre que mistura uma voz aguda e rasgada. "Trapped in Hell" é uma faixa rápida, bem produzida e realmente muito boa. Destaques para os trabalhos vocais com efeitos bem realizados, boa escolha da linha vocal e solos que devem agradar em cheio fãs de speed heavy metal. A ponte para o refrão também chama a atenção como um dos ápices da música. Ótima escolha para primeira composição da banda no trabalho. 

Se na faixa anterior, a velocidade era uma característica notável, aqui, o papo é outro. "Stay Heavy", a faixa-título do primeiro EP da banda, começa de maneira mais cadenciada e com um pé (ou dois) no Hard Rock. Mas se a velocidade diminui, a empolgação segue a mesma. Logo de cara, o baixo destaca-se pela ótima sonoridade, mantendo o peso presente. Os vocais de Kelly ficam mais em evidência nesta música e sua versatilidade é realçada. O título do trabalho é cantado a plenos pulmões por quase toda a banda (Miguel e Aron fazem os backing vocals). Se a pegada por aqui é mais calcada no hard rock, o solo segue na linha heavy metal, denunciando algumas influências da banda. 

"Maktub" é a faixa mais diferente de todo o CD. Começando pelo início acústico e passando pela atmosfera criada aqui. Alguns trechos flertam com um lado mais sombrio da banda, obviamente nada muito extremo, sem fugir das essências de suas influências hard/heavy. O vocal limpo e suave e os acordes acústicos contrastando com o peso da cozinha que mantém a atmosfera densa funcionam muito bem. Essa é a composição mais longa do EP e segue uma pegada cadenciada. A guitarra é quem leva mais destaque, mesclando muito bem solos com bases em diversos momentos. 

"Strong as Steel" tem seu ritmo ditado por um riff marcante que parece ter uma influência da escola NWOBHM. A bateria merece uma menção pela percussão apresentada com entusiasmo. Os vocais são novamente bem apresentados e o baixo tem notas interessantes em meio ao refrão. O solo de "Strong as Steel" somado ao andamento de baixo e bateria denunciam que o Iron Maiden está entre as influências da banda, lembrando alguns dos melhores anos dos ingleses. A passada da música aumenta junto ao volume. Nesta composição fica evidente também o entrosamento do quarteto paulista. 

Fechando "Stay Heavy", a banda presenteou o público com uma espécie de faixa-bônus, com a música "Like Wild", sua primeira composição, gravada e divulgada em maio de 2017. Há uma notável diferença na qualidade da produção desta música para o restante do EP. Mas apesar da produção mais simples, está longe de ser algo mal gravado ou coisa do gênero. Um baixo distorcido dá os primeiros passos da obra. O vocal apresentado é um dos mais agressivos, cantado com gana. A bateria galopante acompanha o ritmo criado pelos riffs e despeja um feeling muito bom no ouvinte. Com uma ótima levada, "Like Wild" certamente funciona muito bem ao vivo, com um refrão fácil de ser lembrado e merecidamente escolhida para fechar a estreia do grupo. 

Para ouvir a Blixten, acesse qualquer um dos links abaixo. O EP está a venda nos shows da banda ou diretamente em sua página no Facebook. 

sexta-feira, fevereiro 23, 2018

Blixten Lança o EP "Stay Heavy".

Blixten - Hard n' Heavy - Araraquara-SP
Fundada em 2013 no interior de São Paulo, em Araraquara, a Blixten sempre teve como proposta e influências o Heavy Metal e o Hard Rock dos anos 80. Após algumas mudanças na formação, a banda se consolida com a formação atual a partir de 2016 e seu nome começa a aparecer com uma boa frequência na região. Com o entrosamento dos integrantes, - Kelly Hipólito (vocal), Miguel Arruda (guitarra), Aron Marmorato (baixo) e Murilo Deriggi (bateria) -  as composições começam a surgir e a criar uma identidade para a banda. Com importantes participações em grandes eventos do interior como o excelente festival Araraquara Rock de 2017, as injeções de ânimos não pararam de ser injetadas até que o EP intitulado "Stay Heavy" começou a ser gravado no fim de 2017 no Estúdio Tavola na cidade natal da banda. Artur Rinaldi foi o responsável pela gravação, mixagem e masterização do trabalho. 

Stay Heavy é composto por seis faixas, incluindo uma introdução com a obra "Requiem Aeternam" de Mozart com a inclusão de trovões ao fundo (Blixten significa "relâmpago" em sueco). Trapped in Hell, Stay Heavy, Maktub e Strong As Steel são as faixas seguintes, gravadas para este trabalho. Fechando o EP, a banda escolheu a faixa "Like Wild" como uma espécie de bônus track. Foi a primeira composição do quarteto, gravada anteriormente e divulgada pela banda em maio do ano passado.

O show de lançamento acontece em Araraquara no dia 03 de março (sábado) com as bandas Os Capial e Toxic Death, ambas conterrâneas da Blixten. Enquanto o CD físico não está disponível, é possível ouvir o EP "Stay Heavy" na íntegra em diversas plataformas digitais. São mais de trinta opções no total. Abaixo listamos algumas delas. Confira:

Spotify
Deezer
Google Play
Napster

quinta-feira, fevereiro 08, 2018

Conheça a Banda Profundezas


Saída do forno do underground, a banda Profundezas foi fundada em 2017 e já tem álbum full-length gravado e disponível para audição. Contando com integrantes experientes do underground nacional que permeiam ou permearam por diversas bandas como Arma, Oligarquia e Side Effectz e residem em São Paulo-SP e Parnaíba-PI, o Profundezas destila um som sujo e pesado com temas obscuros e filosóficos expressados em suas letras. O debut-album possui nove faixas que foram gravadas entre setembro de 2017 e janeiro de 2018 e está disponível na íntegra para audição gratuita e compra no site da banda. Em seu canal no youtube, os bangers divulgaram os vídeos das músicas "Igreja Que Ilumina" e "Vagando Pelo Infinito".

Confira abaixo a terceira faixa do full-length do Profundezas.

segunda-feira, fevereiro 05, 2018

Krisiun Se Prepara Para Novo Álbum



Após vinte e oito anos de carreira, diversos álbuns gravados e um nome consolidado dentre os maiores do metal extremo mundial, sendo referência para um grande número de bandas ao redor do globo, o Krisiun chega em 2018 mais forte do que nunca. 2017 foi mais um excelente ano para a banda, que novamente rodou o mundo com turnês por Europa, América Latina e a marcante passagem pela Ásia, onde, ao lado do Nervochaos, foi barrada no aeroporto de Bangladesh, sob acusações de satanismo. Apesar do cancelamento do show que teve ingressos esgotados em Daca, capital do país, muitos fãs locais manifestaram apoio às bandas brasileiras e inevitavelmente, os nomes de Krisiun e Nervochaos tiveram destaque em diversos meios de comunicação, inclusive em sites não especializados em música e muito menos em metal. Obviamente, uma publicidade que nenhuma das bandas desejava, mas, ainda assim, uma publicidade. No Brasil, importantes shows ao lado do Suffocation, Ratos de Porão e o Rock na Praça, no Vale do Anhangabaú, que teve uma grande presença de headbangers prestigiando a cena nacional, com direito a coro de "ole, ole, ole, Krisiun, Krisiun". Foi também em 2017 que Bill Ward, baterista da formação original do Black Sabbath, elegeu "Southern Storm" (2008) como um dos dez melhores álbuns de metal em sua opinião. Certamente algo para encher de orgulho os três irmãos gaúchos. 

Em um bate papo com Estevam Romera, guitarrista do Desalmado, os irmãos Max e Moyses Kolesne deram alguns detalhes sobre as recentes e futuras atividades do Krisiun. O trio encontra-se em fase final de composição e sete músicas já estão prontas. A promessa é de mais um trabalho brutal, com muita velocidade e uma espécie de "volta às raízes" em seu som. As gravações do décimo primeiro álbum devem começar em abril de 2018 na Alemanha. O produtor responsável pelo novo trabalho será novamente Andy Classen, que assinou os álbuns "Conquerors of Armaggedon", "Southern Storm" e "The Great Execution", além de já ter trabalhado com bandas como Belphegor, Rotting Christ, Tankard, Dew Scented e as também brasileiras Violator e Rebaelliun. "Forged In Fury" é o trabalho mais recente do grupo, lançado em 2015 pela Century Media. Na ocasião, o norte americano e guitarrista/vocalista do Hate Eternal, Erik Rutan produziu o disco.

Confira alguns links abaixo sobre as novidades do trio de irmãos mais extremo do Brasil:



sexta-feira, fevereiro 02, 2018

Retaliate: Assista Ao Novo Lyric Video

Após lançarem a demo "Tormented By Eternity", o Retaliate divulgou em seu canal no Youtube o Lyric Video da faixa "Where Yahweh Doesn't Dwell". O vídeo foi produzido por Rafael Maia Nicolazzi, que também foi o autor da capa da demo. O EP, que teve uma resenha realizada pela Morticínio Produções, está disponível para audição no Bandcamp e no canal do Youtube da banda, além do formato físico, em K7 para venda. Essa versão traz também a primeira demo "Death Does Not Heal" e algumas faixas ao vivo captadas no Metal Joinville Fest de 2015. Futuramente o trabalho também será disponibilizado no Spotify e em outras plataformas digitais. 

Confira abaixo o Lyric-Video: