sexta-feira, setembro 30, 2016

::Resenha:: Attractha - No Fear To Face What's Buried Inside You


Nove anos após o seu surgimento, a banda paulistana Attractha chega ao seu primeiro álbum full-length. Com um nome comprido, mas não difícil de guardar, "No Fear To Face What's Buried Inside You" foi lançado pela Dunna Records e Shinigami Records, gravado no estúdio NaCena e produzido por ninguém mais, ninguém menos que Edu Falaschi. O conceito artístico do álbum ficou a cargo do baterista da banda, Humberto Zambrin e a capa foi assinada por João Duarte. 

Descrito como Hard Rock/Heavy Metal, o estilo deste álbum é bem variado. Há sim elementos de Hard Rock e de Heavy Metal tradicional, mas também há momentos mais pesados e agressivos e outros um tanto rock n' roll. 

Sem enrolação, a faixa de abertura "Bleeding In Silence" vai direto ao ponto. Ótimos arranjos das guitarras e bom trabalho dos vocais, oferecendo um refrão marcante. Solos de guitarra e harmônicos fortes.

"Unmasked Files" é o single lançado no ano passado. Com uma melhor produção, a faixa surge mais agressiva no álbum. Parte do mérito deve ser dada ao vocalista Cleber Krichinak que buscou um timbre diferente e mais nervoso para interpretar a canção, o que de fato deu um resultado melhor e mais compatível com o que o som pede. 

"231" ganhou um ótimo Lyric Video algumas semanas atrás divulgada nas redes sociais da banda. A faixa é, na opinião deste que vos escreve, dona da melhor pegada do álbum. Palhetadas certeiras e cadenciadas somadas a mais um refrão marcante fazem desta, uma das melhores músicas deste trabalho. O pedal duplo incansável de Humberto Zambrin está presente em boa parte de "231" e o baixo de Guilherme Momesso surge preenchendo com maestria as lacunas durante os ótimos riffs executados por Ricardo Oliveira. 

Não importa quantas músicas sejam compostas com este título, "No More Lies" sempre soará como um nome forte e cheio de sentimentos. E é isso que esta faixa passa àquele que a ouve. A banda põe o pé no freio por aqui. Pelo menos por um instante peso e velocidade são substituídos por um som mais acústico e mais um ótimo trabalho do vocalista Cleber, mostrando toda a sua técnica em vocais mais agudos e rasgados. A faixa também tem a participação de Maitê Gondin, contribuindo com uma bela e forte voz, criando um belo coro ao lado de Cleber. Não pense, porém, que a música é leve, pois o peso da guitarra heavy metal também dá as caras.

"Payback Time" fecha o álbum com muito peso e velocidade. Os riffs presentes nesta música integrariam facilmente um álbum de Thrash Metal. Bateria disparando os pedais e dominando ótimas levadas. 

Nove músicas integram este excelente trabalho de uma banda que, sem dúvidas veio para reivindicar seu espaço ao sol do metal nacional. Diversidade musical para agradar a diferentes gostos. "No Fear To Face What's Buried Inside You" merece a atenção de fãs de Hard Rock, Rock n' Roll, Heavy Metal, Thrash Metal, etc. Resumindo, se música boa é a sua praia, pare para ouvir os 45 minutos deste registro. 

O álbum já está disponível em diversas plataformas:

quarta-feira, setembro 28, 2016

Aske Anuncia Data de Lançamento de Videoclipe


Falta pouco! A banda Aske finalmente anunciou a data de lançamento do primeiro videoclipe de sua carreira. Visando divulgar ainda mais o atual full-length "Once...", a banda escolheu a música "Übermensch" para esse trabalho. 

Na ativa desde o ano de 2009, o Aske é uma banda de Death Metal, formada na cidade de São Carlos-SP`, e traz nesse trabalho, além da música que é baseada no livro "Assim Falou Zarastutra" de Friedrich Nietzsche, um trabalho audiovisual extremamente rico em simbologias. 


O videoclipe será lançado no dia 11 de outubro de 2016 no canal oficial da Sangue Frio Produções no YouTube.

Todas as informações sobre esse lançamento você pode adquirir aqui:  https://www.facebook.com/events/1795583560711475/

Fonte: Sangue Frio Produções

segunda-feira, setembro 26, 2016

Life To Those Shadows Lança Video Clipe Em Animação


O videoclipe de "Zenith Embodied Nature" é o primeiro videoclipe oficial da banda Life To Those Shadows e marca a estreia de seu primeiro single de mesm nome, lançado em 13 de julho de 2016.

O videoclipe em animação traz concepção, design gráfico, direção e roteiro de Igor Almeida (também baterista da banda) e animação 2d, motion graphics do design e animador Alan Alves.

A técnica de "cutout animation" utilizada se deu a partir do forte gosto pessoal e referência artística da banda pelos animadores René Laloux e Terry Gilliam. Ambos usaram largamente o formato em suporte analógico/manual em suas obras. A banda traz então o conceito primordial para o formato digital. A ideia da animação com recortes utiliza-se de diversas fotos retiradas de catálogos e da internet, editadas e reinterpretadas, para criar as bases gráficas posteriormente animadas em computador.

O videoclipe foi oficialmente lançado na internet no dia de hoje (26 de setembro de 2016) - estando disponível no link: http://bit.do/zenithmusicvideo.

"Zenith Embodied Nature" encontra-se disponível para audição e compra em:

Spotify: http://bit.do/ltts_spotify
iTunes Store: http://bit.do/ltts_itunesstore
Google Play: http://bit.do/ltts_googleplay
Amazon: http://bit.do/ltts_amazon

sexta-feira, setembro 23, 2016

South Hammer: Download Gratuito de Novo Trabalho


O novo trabalho de uma das revelações do Metal Nacional, South Hammer, está disponível para download gratuito.

Trata-se da música “Last Thunder”, que estará presente no debut álbum intitulado “Decipher or Destroy You”, previsto para o primeiro semestre de 2017.

Para ouvir via streaming e também efetuar o download:

https://soundcloud.com/user-592319591/south-hammer-last-thunder-1

O novo single, que já foi destaque em rádios de países como México, Singapura entre outros, também foi disponibilizado nas seguintes plataformas:



Fonte: Sangue Frio Produções

::Resenha:: Vociferatus - Mortenkult



Os cariocas do Vociferatus chegam ao oitavo ano de estrada e nesse dia 23 de setembro lançam o primeiro álbum full-length, intitulado "Mortenkult". O selo responsável pelo lançamento é a Eternal Hatred Records. Produzido por Luiz Freitag e John Marque e masterizado por George Bokos (ex-guitarrista do Rotting Christ) no GrindHouse Studios na Grécia. A capa foi responsabilidade de Marcelo Vasco, artista que assinou a capa de Repentless, último álbum do Slayer, além de ter trabalhado também com o Soulfly, Machine Head, Dimmu Borgir e outras bandas. 

Anteriormente à este trabalho, a banda lançou três outros registros: a demo Vociferatus em 2010, o EP "Blessed By The Hands of Flames" em 2011 (disponibilizado para download. Clique aqui para baixar) e o single "Storms Are Mine" em 2015, presente neste álbum. 

Ao acompanhar os trabalhos da banda, percebe-se a nítida evolução. A cada registro lançado, os músicos mostram um amadurecimento natural de quem possui talento e sempre soube o que estava fazendo. Um amadurecimento que não para na parte técnica e avança para as composições e entrosamento. 

A faixa de introdução “Eloi, Eloi, Lama Sabachthani” com ruídos de guerra misturados à possíveis cânticos islâmicos apresentam uma “aura” tensa, abrindo caminho para o que vem pela frente. “Blood Runs Over Bayt Lahm” chega apresentando toda a banda à quem ainda não conhece, com a bateria se destacando em um blast beat “controlado”, as guitarras se interpondo em base e lick que contribuem para a atmosfera pesada desde os segundos iniciais do álbum, uma breve passagem solo do baixo e com um urro gutural do vocalista Pedrito Hildebrando. A música segue com um excelente trabalho das guitarras, despejando riffs muito bem trabalhados e um ótimo casamento entre cordas e percussão, sem mencionar as notas em um piano que complementam magistralmente o ambiente criado na música.

Em “The New Opposition” o ponteiro do velocímetro sobe, com Augusto ditando o ritmo com blast beats insanos. O Destaque dessa música fica para o ótimo trabalho dos vocais de Pedrito, alternando entre grave e rasgado, oferecendo um excelente resultado final à linha vocal.

“Storms Are Mine”, single lançado em 2015, oferece uma gama de riffs e arranjos das guitarras que somadas às palhetadas. O baixo de Lucas Zamdomingo surge em perfeita sincronia, preenchendo todos os espaços necessários.  Há uma boa variedade de ritmos nesta faixa, tornando-a uma das mais completas do álbum. Seus mais de cinco minutos passam em um instante, o que prova que é também uma das melhores músicas deste trabalho.

 “Terrível Coisa É Cair Nas Mãos do Deus Vivo” é uma faixa instrumental composta por cítaras e percussões orientais e contribui bastante para a já citada “atmosfera pesada” do álbum. Logo em seguida, vem a faixa-título, “Mortenkult”, para mostrar todo o controle que Augusto possui sobre sua bateria, iniciando a faixa com viradas rápidas e secas e chamando o resto da banda para a insanidade que se segue. Belas dobras das guitarras e mais uma vez uma seleção de ótimos riffs. Há também um interessante e diferente trabalho de percussão compondo o “miolo” da música.

“Chaos Legions Battlefront” abandona por um instante a aura que compõe a maior parte do álbum e parte para um lado mais black, mas a essência da banda está presente nesta faixa. É a música mais curta do álbum e uma das mais rápidas também, com um forte coro.

“Where Hope Dies” e “Amenti”, as duas faixas mais longas do álbum fecham o trabalho primorosamente, comprovando o som cimentado no Blackened Death Metal.
A produção do álbum merece um capítulo à parte. Que trabalho perfeito, capturando tudo o que a banda oferece, merecidamente. Sem dúvidas, “Mortenkult” se posicionará entre os melhores trabalhos nacionais dos últimos anos.

O álbum estará disponível na versão física em breve, mas já está disponível para audição online nos links abaixo:

Google Play: https://goo.gl/Wxcr3t
Amazon Music: https://goo.gl/uR8Aux

quarta-feira, setembro 21, 2016

Khrophus: Miniturnê Com Apostles Of Perversion (Espanha)


Celebrando um ano incrível com sua turnê “Spreading The Madness Tour”, a banda KHROPHUS tem mais um final de semana insano, dessa vez ao lado da banda espanhola Apostles Of Perversion que vem ao Brasil para divulgar seu mais recente álbum “Revenge Beyond The Grave”.

A primeira apresentação das duas bandas acontece na terceira edição do Brutal Player, no dia 23/09/2016 em Guaramirim/SC no lendário Curupira Rock Bar, junto às bandas Impiedoso e Retaliate.

Confira: 


Link do evento no Facebook para mais informações: 


No dia 24/09/2016 Apostles Of Perversion e KHROPHUS viajam até Criciuma/SC, onde se apresentam no Colher de Chá, junto as bandas Silent Empire e MetalGods (tributo à Judas Priest).

Confira: 
Link do evento no Facebook para mais informações:


Para fechar o fim de semana com chave de ouro, as bandas encerram a miniturnê em Florianópolis/SC, dia 25/09/2016 no Scream Metal Bloody. O show, que acontece no Célula Showcase, também contará com as bandas Evil Domain e Misanthrope (tributo a banda Death).

Confira:

Link do evento no Facebook para mais informações:


Confira todas as datas da “Spreading The Madness Tour”: 


Contato para shows e assessoria: 


Sites relacionados:


Fonte: Sangue Frio Produções

Vigans: Finalista do Music Hall Festival 2016 Na Expomusic



Após uma memorável apresentação no palco do Music Hall, na Expomusic 2015, banda VIGANS retorna à maior feira de música da América Latina, mas desta vez como uma das finalistas do Music Hall Festival 2016, que acontece no próximo final de semana, entre os dias 23 e 24 de setembro. 

Com o lançamento do bem sucedido álbum "Além do Caos", e do elogiadíssimo videoclipe da faixa "Vou Lutar", a banda VIGANS realizou shows em diversas partes do país, inclusive uma memorável apresentação no palco do Music Hall, na Expomusic 2015. Agora, o grupo retorna à maior feira de música da América Latina como um doos finalistas do Music Hall Festival 2016, uma parceria entre a Expomusic e a Get My Idol, que acontece no próximo final de semana, entre os dias 23 e 24 de setembro, no Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo.

A banda foi pré-selecionada, entre 400 concorrentes, por uma equipe especializada, sob a supervisão do curador artístico do festival, o cantor, ator e compositor Toni Garrido, ao lado de outros jurados, entre produtores e músicos, além de membros da Get My Idol e da própria Expomusic. Em uma segunda etapa, a VIGANS foi para uma votação na internet, angariando uma quantidade expressiva de votos, que resultou na conquista de uma das vagas.

Repleta de expectativa e com muita garra, a VIGANS sobe ao palco do Music Hall Festival no sábado, 24, às 17:00. O Anhembi fica localizado na Avenida Olavo Fontoura, 1209, em São Paulo - SP.

Sobre "Além do Caos

​​​Arte desenvolvida pelo renomado Gusta Sazes.

Lançado de maneira independente, no dia 20 de abril de 2015, o álbum pode ser conferido tanto em sua versão física, como através das principais plataformas de músicas via streaming.

A sonoridade aqui está baseada em um Metal moderno, pesado, altamente técnico e com espaço para inserções de influências oriundas do Prog Metal. Tudo isso com uma carga extra de melodias marcantes. As principais referências vêm de nomes como Evergrey, Dream Theater, Symphony X e Alter Bridge, mas, ao mesmo tempo, impõe sua marca e identidade.

A banda se propôs em dar um tratamento especial às letras, todas cantadas em português. Temas como luta, superação, recomeço e liberdade, podem ser encontrados em todo o disco, uma preocupação que a VIGANS tem em transmitir mensagens positivas aos seus ouvintes.

O disco contou com pré-produção musical de Ricky Furlani e foi gravado e produzido no Mr. Som Estúdios, em São Paulo, sob supervisão da premiada e consagrada dupla Heros Trench e Marcello Pompeu (ambos do Korzus), que garantiram uma produção primorosa, cristalina e que deixa em evidência todos os elementos e detalhes.

Já a arte gráfica de "Além do Caos", foi desenvolvida pelo renomado designer Gustavo Sazes, conhecido por seus inúmeros trabalhos com grandes nomes da música pesada. Sobre a arte, o baixista e fundador Marquinhos Uliam comenta que "a criança representa a pureza do coração. E a caixinha de música seria uma esperança em meio a esse grande caos em que vivemos".

Confira algumas opiniões da imprensa sobre "Além do Caos":

"... um Prog Metal de alta qualidade." - Alessandro Bonassoli (Roadie Crew);

"...a banda se preocupou com o conjunto da obra, pois além das canções, apostou no excelente trabalho gráfico e numa produção que dá margem para todas as nuances e detalhes."  - João Messias Jr. (New Horizons Zine);

"Se você possui a mente aberta, aprecia um Metal moderno e bem feito, este é um trabalho interessante." - Vitor Hugo Francheschini (Arte Metal);

"... um belíssimo álbum de Metal". - Leandro Vianna (A Música Continua A Mesma).

Os riffs e solos extremamente bem elaborados, bateria e baixo conduzindo tudo com maestria, teclados inseridos na medida certa, além de um vocal marcante, fizeram com que "Além do Caos" fosse muito bem recebido pela crítica e pelo público. Foram algumas apresentações por diversas cidades no estado de São Paulo, e uma participação como uma das principais atrações do Music Hall, palco de shows da Expomussic, maior feira de música da América Latina.

Ainda em 2015, como parte da divulgação de "Além do Caos", a banda lançou o videoclipe da faixa "Vou Lutar", que teve direção de Gustavo Brihi, responsável pela produtora One More Films, e veiculação com exclusividade pela empresa VEVO. O vídeo, que pode ser acessado no link abaixo, já ultrapassou a marca de 22 mil visualizações.

Links relacionados:
 Fonte: Insomnia Music

::Resenha:: Ação Libertária - Cidadão de Bem


Originários de Natal-RN e fundada em 2009, o Ação Libertária chega ao seu segundo álbum full-length, intitulado "Cidadão de Bem", lançado no último dia 20 de setembro de maneira independente inicialmente em formato digital e posteriormente o trabalho estará disponível em formato físico (digipack e K7). A escolha de "antecipar" o lançamento do registro em formato digital é uma boa aposta. Com as redes sociais e o uso da internet cada dia mais forte, sua disponibilização para audição online ou para download (gratuito neste caso) tem tudo para aproximar ainda mais a banda do público. Após a audição, a chance de adquirir o CD ou o K7 é bem grande, pois trata-se de uma banda honesta e que não está na cena para brincadeira.

"Cidadão de Bem" foi gravado no Estúdio F, mixado e masterizado por João Vitor. A capa foi elaborada por Guga Burkhardt da Acclamatur Zine e já indica o tom das críticas contidas nas faixas. Um casal mumificado hipnotizados pela TV sintonizada no Jornal Nacional, camiseta da CBF e Revista Veja sobre uma mesinha enquanto uma criança alheia àquela situação, observa a vida através da janela.

Na primeira audição do álbum, a conclusão a qual chegamos foi: "os caras estão revoltados". Especialmente o vocalista Márcio Pigmeu, responsável pelo vocal raivoso e por todas as letras deste trabalho. É um dedo na ferida atrás do outro. E aqui vai um conselho aos conservadores do Brasil: passem longe deste trabalho ou passarão muita raiva, pois as letras não passam a mão na cabeça de ninguém. Só se for uma mão bem aberta e com força na orelha. 

"Cidadão de Bem" começa de uma maneira inusitada, mas muito bem escolhida, com a épica entrevista do cantor Caetano Veloso. Aquela famosa "como você é burro, cara...". Particularmente, o disco já ganhou pontos comigo por me arrancar algumas risadas nos primeiros segundos. Sem mais delongas, o peso chega como um trem desgovernado na faixa "Hater Virtual Liberalóide", onde o foco são os famosos "cientistas políticos de Facebook". O estilo adotado pela banda é o Crossover/Thrash Metal e muito bem executado, diga-se de passagem. Guitarras com ótimos arranjos acelerados seguindo a fúria da bateria. 


Dentro deste estilo violento, há sempre o grande risco da banda soar limitada e repetitiva. Infelizmente há muita banda por aí que pensa que só precisa tocar alto e rápido. Mas quem se dedica e conhece bem o estilo, sabe que o caminho não é esse. O Ação Libertária consegue soar alto, rápido, violento e o melhor de tudo, autêntico. Este trabalho certamente deverá agradar aos fãs do Ratos de Porão. Seja pelo som, pelas letras ou por ambos. 

"Papagaios" tem ótimos arranjos e levadas que merecem destaque, desafiando os headbangers a manterem os pescoços imóveis. Palhetadas bem crossover mesmo com um toque de bandas da Bay Area e mais um bom trabalho dos vocais. 

"Robô de Carne" é mais uma crítica feroz e sem medo. Dessa vez direcionada ao militarismo e à milícia. Um depoimento do personagem Capitão Nascimento tirado de um trecho do filme Tropa de Elite 2 faz a introdução desta faixa. O baterista Toni segue sem descanso, descendo o braço no seu instrumento como se não houvesse amanhã. Destaque para um bom solo de baixo de Junior, fazendo uma boa transição rítmica na música. 

É difícil escolher a melhor letra desse trabalho, mas "Respeito ou Repúdio" certamente merece uma atenção pelo momento em que vivemos, onde o ódio e o preconceito são disseminados sem medo. Destaque para a estrofe: "Mas totalitarismo não é opinião, É a face autoritária, é a imposição. Não merece respeito porque nega os direitos, A liberdade e a voz de tantos outros conceitos.". Belos riffs e linhas de baixo quase tendendo ao Death Metal conferem mais uma vez uma boa dose de autenticidade aos músicos. 

"Dancem Macacos" conta com a participação de Thiago César da banda E.D.I. nos vocais, inserindo ainda mais raiva na interpretação da letra. Essa é uma música que faz qualquer show parado se transformar em uma roda de pogo instantânea. Destaque também para a linha de baixo e os blast beats da bateria. 

Trecho retirado do arquivo de texto anexado ao disco no download:

"Curiosidade: 

O áudio no final da última faixa do álbum, chamada 'Dancem, Macacos!' é de autoria de Ernest Cline. A reflexão dele sobre o pensamento humano inspirou a letra da música."

A banda oferece diferentes opções para ouvir online ou baixar o álbum. Vale à pena conferir o som dos potiguares do Ação Libertária. Confira abaixo as opções:

Ouvir online:

Bandcamp
Soundcloud

Download gratuito:

Mega
Mediafire

terça-feira, setembro 20, 2016

::Brasil Banger Bands:: LEGACY OF KAIN (Thrash Metal)

Após mais de 20 anos de carreira e passagens por nomes importantes do Metal, como Crosskill, Devil Tourturer, Desertor, Messianic Cry, Seven Angels e Doomsday Hymn, os guitarristas Angelo Torquetto e Karim Serri anunciaram que vinham trabalhando em uma nova banda. Agora, não só o público que acompanha a trajetória da dupla, mas os headbangers de todo o Brasil têm um bom motivo para comemorar, pois mais um nome de peso se levanta com a missão de honrar e representar a força do Metal nacional: Legacy of Kain.
“Depois de muitos erros e acertos, nós acabamos aprendendo muita coisa sobre banda, relacionamento, maneira de trabalhar e foco”, comenta Karim Serri. “Quando nos reunimos para montar o LOK (Legacy of Kain), pensamos em usar tudo o que aprendemos nesses últimos anos a nosso favor”.
Além dos guitarristas, o LOK conta com o baixista Leandro Paiva (ex-Efrata) e o baterista Tiago Rodrigues. Os vocais ficam sob responsabilidade de Angelo Torquetto, que já desempenhou tal função em outras bandas pelas quais passou. Sobre os novos parceiros, Karim salienta que “chamamos dois caras que pensam da mesma maneira e têm o mesmo objetivo que nós temos, sem restrições. Temos uma alta expectativa para essa banda. Não em termos de fama e sucesso, pois isso é relativo, mas em termos de comprometimento e disponibilidade para ir a qualquer lugar onde o Metal nos levar”.
Para atingir os objetivos e se sobressair no vasto cenário do Metal Brasil afora - e quem sabe mundo afora -, os integrantes do Legacy of Kain reconhecem a importância de um trabalho realizado com muito esmero, e que vai além das composições. “Entendemos hoje que não é apenas boa música. Tem muitas outras coisas envolvidas”, ressalta Angelo. “A banda é uma empresa e deve ser levada a sério. São projeções futuras e um investimento a longo prazo”.
Concentrados no estúdio Silent Music, na cidade de Curitiba-PR, os músicos finalizam as gravações de seu primeiro EP, que tem previsão de lançamento em novembro. Os headbangers podem esperar um Thrash Metal pesado, visceral e altamente competente, e que não vai deixar de lado características mais presentes na música pesada moderna. Ansioso para apresentar as novas composições aos fãs, Angelo deixa o recado: “O LOK tem muito a percorrer e a corrida começou no pique certo. Depois é cair na estrada e ir pro mosh!”.
O Legado de Caim
Intolerância. Hipocrisia. Arrogância. Guerras. Caos!!!
Palavras que assombram, atormentam e dilaceram vidas por toda a Terra. Tudo isso fruto do primeiro assassinato registrado na história da raça humana, quando Caim, em um ato de extrema covardia e tomado por sentimentos destruidores, como inveja, ganância e ciúmes, matou seu irmão Abel. O que nos sobrou foi o seu legado. A atitude completamente irresponsável de Caim colocou a humanidade em uma luta diária contra um de seus maiores inimigos: a própria humanidade.

A LOK busca, através de suas letras e de todo o peso colocado em suas músicas, contestar essa acomodação que o ser humano tem em aceitar e se deixar influenciar por um legado corruptor, que se encontra enraizado na sociedade. Um legado que nos faz agir de maneira egoísta e cruel. Essa herança vai nos dominando e aumenta nossa hipocrisia. E mesmo que a hipocrisia nos leve a usar máscaras, é inenarrável sua incapacidade de mudar o nosso interior.
O Legacy of Kain conta com as parcerias Harpia Luteria, Garagem Instrumentos Musicais, Cordas Solez e Pedais AED.
Confira abaixo o teaser do EP que está sendo preparado:

segunda-feira, setembro 19, 2016

::Resenha:: King of Bones - Don't Mess With The King

Capa do segundo álbum do King of Bones, "Don't Mess With The King"

Chegando ao sétimo ano de sua carreira, o King of Bones apresenta o seu segundo trabalho. O álbum “Don’t Mess With The King”, sucessor do excelente “We Are The Law” de 2012. Aliás, se você ainda não conhece o primeiro trabalho da banda, não perca tempo e já emende um trabalho no outro. Essa banda é um tiro certeiro para fãs de Hard Rock e Heavy Metal. Seus riffs típicos do Hard Rock parecem saídos diretamente dos anos 80 e os refrões grudentos (na melhor maneira possível) fazem as músicas funcionarem perfeitamente. Após uma ou duas ouvidas, é só bater o nome no título da faixa de algumas canções, que você já se lembra automaticamente da música.

Lançado de forma independente, esse CD é um belo exemplo de seriedade e trabalho árduo em todas as áreas que envolvem a criação de um álbum. Começando pela capa, que retrata a corrupção e a ganância na política brasileira e mundial. A arte ficou a cargo de Gustavo Sazes, designer gráfico brasileiro que possui experiência de sobra com gigantes do metal mundial, como Morbid Angel, Manowar, Sepultura, Angra, Korzus, Krisiun entre outros. A produção de “Don’t Mess With The King” está impecável. O produtor Henrique Baboom soube captar muito bem a essência da banda, chegando a um resultado mais do que satisfatório. E por último, mas obviamente não menos importante, a banda e seu entrosamento.

“Don’t Mess With The King” começa com uma bela e convidativa introdução com violão e percussão antecedendo “No Way Out” com um riff que exemplificaria perfeitamente a um leigo o que é o heavy metal, seguido de harmônicos e duetos abrindo espaço para o vocal agudo e agressivo de Júlio Federici. As partes mais melódicas casam muito bem com o andamento da faixa.

“Hold Me Closer” também inicia-se com a guitarra sozinha ‘chamando’ os outros instrumentos para o barulho. Entretanto, nessa faixa o hard rock fala mais alto. Refrão melódico e mais uma vez marcante. A ‘atmosfera’ aqui é o hard rock, mas o peso das guitarras não é deixado de lado.

“Wherever You Are” flerta com o heavy melódico, mantendo a “atmosfera Hard Rock”. Refrão fácil de guardar e ótima técnica empregada por todo o conjunto. Excelente trabalho das cordas e dos vocais nesta faixa. Além da perfeita condução da bateria, alternando clímax e cadências. Uma música realmente muito bem produzida. Tente ouvir essa música e não ficar com esse refrão na cabeça até horas mais tarde.

“Black Angel” com uma introdução “voz e violão” somada aos sons de animais como águia, cavalo e uma cascavel levam o ouvinte para dentro de um filme de faroeste, prestes a presenciar um duelo entre John Wayne e Clint Eastwood. Brincadeiras à parte, essa é mais uma excelente faixa do álbum . Uma música bem rock n’ roll, com riffs poderosos e levadas contagiantes.

“Goodbye Yesterday” é uma das músicas mais cadenciadas e melódicas do álbum, com momentos até mesmo tristes. O trabalho das vozes fica mais uma vez evidenciado nesta faixa, com outro refrão fazendo o trabalho de tornar o título da música fácil de ser lembrado.

Saindo de uma áurea mais ‘down’, “Dry Your Eyes On Me” praticamente vira a página de uma faixa para a outra. A música mais curta do álbum possui uma pegada mais heavy metal/melódico. A guitarra de Rene Matela se destaca com ótimos arranjos e belos solos.

“No More Lies” inicia-se com um riff pegado e bem marcante, com a cozinha ditando o ritmo seco das levadas. É incrível a facilidade que esses músicos possuem de criar refrões marcantes. Essa é mais uma faixa com a letra fácil de se lembrar. Essa e várias outras faixas devem funcionar muito bem ao vivo nos shows do quarteto paulistano.

Para fechar o álbum com chave de ouro, o King of Bones escolheu a música “Point of No Return”. Uma das mais pesadas e empolgantes deste trabalho. Com ótimas palhetadas na guitarra e boas levadas na bateria.


No total, o álbum conta com 13 faixas e aproximadamente 52 minutos. A banda disponibilizou o álbum na íntegra neste dia dezenove de setembro em muitas plataformas para audição em streaming e download. Na imagem abaixo, você confere onde o álbum pode ser ouvido. 

Plataformas onde o álbum está disponível

Revelada a Capa de Split Entre Axecuter e Flageladör

Split "Headbangers Afterlife" das bandas Flageladör e Axecuter

A Mindscrape Music acabou de lançar a pré-venda do novo split CD da banda curitibana  Axecuter com os cariocas do Flageladör, e junto com a pré-venda o selo divulgou também a tão aguardada capa do vindouro “Headbangers Afterlife”. A capa assinada por Marcio Aranha é uma verdadeira reunião headbanger no inferno. Bebedeiras, churrasco e metal rolando à vontade. Ao fundo um dos personagens seleciona um vinil do Venom, enquanto à frente dos falantes, é possível visualizar outros LPs (Grim Reaper, Slayer e Judas Priest), todos com a temática voltada ao inferno. 

Como já divulgado, o álbum contará com quatro músicas inéditas e um cover de cada banda e está previsto para outubro de 2016. Confira agora a capa de “Headbangers Afterlife”: 


Confira a promoção lançada pela Mindscrape Music: https://goo.gl/LisNLo 

As bandas também lançaram em seus canais oficiais do YouTube algumas músicas que estarão no álbum, confira: 



Fonte: Sangue Frio Produções

quinta-feira, setembro 15, 2016

Claustrofobia Lança Novo Álbum e Lyric Video

O Claustrofobia acaba de lançar oficialmente o tão aguardado novo álbum “DOWNLOAD HATRED”, que traz 10 faixas e participação especial dos ilustríssimos guitarristas Andreas Kisser (Sepultura) e Moyses Kolesne(Krisiun).
A banda aproveita a oportunidade para também apresentar o video lyric da própria música “DOWNLOAD HATRED” produzido por Kaiowas Filmes e editado por Léo Alves Kaiowas.
Tracklisting official de “DOWNLOAD HATRED:

1. Download Hatred
2. Blasphemous Corruption
3. Sinking
4. Generalized World Infection (Feat. Moyses Kolesne)
5. My Own Victory
6. The Greatest Temptation
7. Inverted Faith
8. Metal or Die
9. Curva (Feat. Andreas Kisser)
10. Paulada (bonustrack Brasil)
11. Falling Apart (bonustrack América do Norte)

No Brasil, “DOWNLOAD HATRED” já está disponível via Die Hard Records(http://diehard.com.br/detalhe_produto.php…) e também está disponível na nova Claustro Store (www.claustrostore.com.br). No resto da América Latina, o registro já está disponível nas principais plataformas como Deezer, iTunes, Spotfy, OneRPM e Google Play, via Wikimetal.
Maiores informações sobre o lançamento em:http://theultimatemusic.com/claustrofobia-lanca-oficialmen…/

Confira abaixo o lyric video da faixa-título "Download Hatred"

quarta-feira, setembro 14, 2016

Blixten Divulga Novo Logotipo

A banda Blixten (Hard Rock/Heavy Metal de Araraquara-SP) está passando por uma nova fase. Fundada em 2013 no interior de São Paulo, a banda que é influenciada por uma boa diversidade de bandas como Warlock, Anthrax, Grim Reaper, Skid Row, Quiet Riot, Twisted Sister, Iron Maiden, Chastain, Phantom Blue, Scorpions, entre outras, conforme descrevem em sua página no Facebook, já passou por algumas alterações em seu line-up. Da primeira formação, apenas a 'frontwoman' Kelly Hipólito permanece na banda. Juntam-se à vocalista os integrantes: Murilo Deriggi (bateria), Aron Marmorato (baixo) e Miguel Arruda (guitarra). Além das mudanças na formação, a banda acaba de anunciar um novo logotipo para marcar de vez a nova fase em que se encontram. 

Confira abaixo o logotipo e o comunicado divulgado nas redes sociais:


"Hey metalheads!



A Blixten está passando por DIVERSAS mudanças saudáveis!
Músicos, repertório, composições, TUDO!
Pensamos em mudar o nome, mas pensamos também que é um nome muito especial, por toda a história por trás da banda, das pessoas que passaram e deixaram sua experiência.
E resolvemos então, mudar apenas a logo e a arte!

Espero que gostem!!!"


Atualmente o Blixten está em fase de composição de novas músicas para um futuro registro, ainda sem data definida. 

Confira no link abaixo um pequeno trecho de uma música autoral. A primeira com a atual formação:

sexta-feira, setembro 09, 2016

::Resenha:: Hauser - Processo Bokanovsky

Parte da arte do EP "Processo Bokanovsky"

Lançado hoje (dia 09 de setembro de 2016), o EP Processo Bokanovsky da banda Catarinense Hauser, é direto e reto, curto e grosso. São apenas duas músicas que duram pouco mais de cinco minutos, mas nenhum segundo nesse registro é desperdiçado. A duração do EP não minaram em nenhum momento a agressividade e velocidade da banda. Mesmo em passagens cadenciadas e algumas levadas, a violência sonora está presente. Elementos de Death Metal, Grindcore e Hardcore que oferecem uma mistura insana e de peso absurdo.

A primeira faixa, que leva o nome do EP “Processo Bokanovsky”, inicia-se com um blast beat ultra rápido, seguido de quebradas de tempo, vocal gutural pra lá de grave e riffs simples, porém eficientes. Simples por não “inventarem moda” sem necessidade. Cumprem o que o estilo pedem, mas ainda assim, oferecem uma gama de variedade. Destaque maior nessa faixa fica para a bateria pela velocidade e técnica empregadas.

Falando em simplicidade, “Simples” esse é o nome da segunda faixa do EP. Nessa música ficam bem evidenciadas as influências e elementos usados pela banda. Death Metal, Grind e Hardcore estão
presentes aqui. Mais uma vez a banda oferece o seu cardápio veloz e violento, com a cozinha metendo o pé no acelerador. Os riffs da guitarra seguem o ritmo acelerado até a música cair numa boa e marcante cadência arrastada.

“Processo Bokanovsky” é o segundo trabalho lançado esse ano pela banda. Em abril lançaram o segundo full-length, intitulado “(des)razão”, sucessor do debut álbum “Stu” de 2011.

As informações abaixo foram retiradas do site O Correio do Povo:

“O miniálbum conta com duas faixas que foram gravadas em São Paulo no final do ano passado após a banda ser selecionada para participar do Rubber Tracks, um projeto capitaneado pela marca Converse que dá diárias em estúdios renomados para bandas dos mais diversos estilos. Como foi uma das escolhidas pelos jurados, a banda pôde gravar noFamily Mob, um dos mais prestigiados estúdios paulistas, e contou com a ajuda do produtor Jean Dolabella (ex-baterista do Sepultura) e do engenheiro de som André “Kbelo” Sangiacomo.

O EP é composto pelas músicas “Simples” e “Processo Bokanovsky”, que dá nome ao disco. A segunda faixa faz referência ao instrumento de estabilidade social criado por Aldous Huxley no livro “Admirável Mundo Novo”. Segundo o guitarrista, Johnny Loewen, as composições mesclam as atuais influências da banda. “Elas transitam entre o grindcore, o hardcore e o death metal. Tudo de maneira bem rápida e dinâmica”, revela.”

Confira abaixo as duas faixas disponibilizadas no canal da banda no Youtube:

terça-feira, setembro 06, 2016

::Brasil Banger Bands:: HERITAGE (Thrash Metal Old School)


O Heritage é uma banda que “acabou de sair do forno”. Formada no início de 2016 por membros e ex-membros de bandas como Blasthrash, Flagelador, Cemitério, Infected e Psychotic Eyes. Então, embora a banda seja bem nova, falta de experiência, claramente não será um problema para esses músicos.

Oriundos da cidade de São Paulo-SP, os bangers do Heritage executam um Thrash Metal old school muito veloz e com muita pegada, que lembra as bandas da bay area e com certeza irá agradar aos fãs de Exodus, Death Angel, Vio-Lence, etc. As influências das bandas desse estilo são notáveis, mas isso não significa que falte alguma originalidade em suas composições. A banda disponibilizou duas músicas para audição na internet: “The Watcher” e “Obey or Die”. O entrosamento entre os músicos é impressionante. Coisa de quem está junto há muito tempo. Conseguir tal resultado logo nas primeiras composições não é algo tão simples. Guitarras metralhando riffs em uma sincronia perfeita, bateria e baixo ditando o ritmo veloz e incansável das músicas e um vocal agressivo vociferando contra o uso de figuras divinas para manter a sociedade “na linha”.  As duas faixas divulgadas estarão presentes no álbum de estréia da banda, ainda sem data de lançamento. Mais novidades em breve.

Confira abaixo a faixa “The Watcher”: 

segunda-feira, setembro 05, 2016

Guitarristas Anunciam Saída do Doomsday Hymn e Já Preparam Nova Banda


2015 foi mais um ano movimentado e extremamente produtivo para os guitarristas Karim Serri e Angelo Torquetto, músicos que já possuem mais de 20 anos de carreira. Mais recentemente, ao lado da banda Doomsday Hymn, ambos lançaram um disco que recebeu elogios, tanto do público quanto da imprensa especializada nacional e internacional. Ainda realizaram com êxito uma extensa turnê sul-americana, além de shows ao lado de nomes consagrados do Metal nacional.

Mas por algumas incompatibilidades dentro da banda, Angelo e Karim decidiram deixar o DDH (Doomsday Hymn), para se dedicarem 100% a uma nova banda. “Nós resolvemos nos afastar do DDH por motivos 100% profissionais. Estávamos em um ritmo de trabalho muito diferente dos outros da banda, e para não haver um confronto de ideias e evitar qualquer animosidade, resolvemos seguir nosso caminho e deixar o DDH seguir o seu, que, aliás, é muito promissor”, comenta Karim.

Com isso, os headbangers ganham um ótimo motivo para comemorar: uma nova banda surge no cenário nacional. Angelo e Karim uniram forças a outros dois músicos, e, no próximo dia 20 de setembro, todas as informações serão divulgada em um evento no Facebook, desenvolvido especialmente para o anúncio. Angelo faz questão de adiantar que "este tem sido um trabalho de grande desafio para nós, mas extremamente gratificante. Temas, composições, ideias, enfim. Tudo pensado com cautela, para dar à galera algo para não se arrepender de ouvir: nosso bom e violento Metal Brazuca!".

Confira abaixo a nota oficial publicada na página do Facebook da banda Doomsday Hymn:

*NOTA OFICIAL*
Depois de um bom período junto ao Doomsday Hymn, os guitarristas Karim Serri e Angelo Torquetto estão seguindo rumos diferentes. Nossa separação ocorreu de forma amigável e veio devido à divergência de interesses. Continuamos com a velha amizade de sempre. Nós, os remanescentes (Jarlisson, Gil e Allan), somos imensamente gratos pela enorme contribuição e dedicação dos dois ao longo deste período.
O Doomsday Hymn continuará com força total e fazendo o bom e velho som pesado, esse mesmo som que nos levou a tantos lugares do Brasil e países em que nunca pensávamos tocar.
Por hora, o então baixista Allan Pavani assume uma das guitarras, e assim continuaremos na luta na busca dos novos baixista e guitarrista.
Em breve voltaremos com novidades. Aguardem!
Desde já, o Doomsday Hymn agradece a todos os amigos e fãs que sempre nos apoiaram nessa intensa caminhada que é desbravar o Metal Nacional pelos 4 cantos do Brasil e do mundo!!
Deus os abençoe!!


Fonte: Insomnia Music

sexta-feira, setembro 02, 2016

Morticínio do Inferno: 5ª edição acontece em setembro em Leme (SP)


O festival Morticínio do Inferno surgiu no ano de 2003, quando os fundadores dos sites Portal do Inferno e Morticínio Produções (Morticínio Web Zine na época) decidiram se organizar para trazer bandas de metal para a cidade de Leme/SP.

A primeira edição foi realizada em agosto de 2003 e as duas seguintes aconteceram em 2004, após a terceira edição, o evento ficou parado por um longo período, foram doze anos de pausa até a quarta edição ser realizada. Em todas as edições, a organização procurou sempre abrir espaço para bandas autorais divulgarem seu som e material, valorizando o trabalho da cena local e nacional. Após o hiato de mais de uma década, o plano passou a ser a organização de dois eventos por ano, um em cada semestre.

A quinta edição se aproxima, será dia 10 de setembro de 2016, as bandas presentes serão Crystal Lake (Thrash Metal - Leme/SP) se apresentando pela segunda vez no Morticínio do Inferno (estiveram presentes na segunda edição, em 2004), Circle of Infinity (Thrash Death Metal - Limeira/SP) pela primeira vez no evento e também em Leme/SP e como headliner desta edição, o Queiron (Death Black Metal - Capivari/SP), pela primeira vez no evento e voltando à cidade após 16 anos desde sua última apresentação. O evento será realizado na sede do Kaiowas Moto Clube, lar do rock 'n' roll, do metal, da cerveja gelada e da camaradagem na cidade de Leme/SP.

Serviço: 5º Morticínio do Inferno
Bandas: Crystal Lake, Circle of Infinity e Queiron
Data: 10 de setembro de 2016
Horário: 18h00
Local: Kaiowas Moto Clube (Av. 29 de Agosto, 1259 – Leme/SP)
Ingresso: R$ 10,00 (Somente no dia)
Evento no Facebook: www.facebook.com/events/1564313773873641/
Teaser promocional: https://www.youtube.com/watch?v=WIBUDhs6mpo

Realização: Morticínio Produções e Portal do Inferno
Informações: press@portaldoinferno.com.br

Links relacionados:
Portal do Inferno: www.portaldoinferno.com.br
Morticínio Produções: http://morticinio.blogspot.com.br